Átrio Daví Barela Dávi – Uma homenagem do Grupo Nostra Casa às vítimas do acidente com a Chapecoense.

O Grupo Nostra Casa inaugurou em dezembro de 2017, o Átrio Daví Barela Dávi, um espaço dedicado a contar a história do maior luto que Chapecó já presenciou. Local de contemplação, simbologia de amor reavivado no mundo inteiro. Uma forma de agradecer as energias positivas emitidas pelo mundo todo, tornando-se assim uma bela área de paz e de reflexão. É um orgulho para o Grupo Nostra Casa doar este espaço para que todos possam eternizar e intensificar a solidariedade e o amor ao próximo.  

  

Átrio significa o local que antecede um espaço principal. Neste caso antecede a nossa Arena Condá, palco de grandes emoções, onde choramos e nos alegramos por muitas vezes.

Os projetos arquitetônico e paisagístico levam assinatura das arquitetas Monyk Dávi e Hariet Hugentobler Hexsel. Foram coordenados pelo Engenheiro Civil Gustavo Di Domenico e executados pela dedicada equipe Nostra Casa, que em 20 dias não mediu esforços para transformar esse espaço.

Este é mais um presente do Grupo Nostra Casa à Chapecó e à história da Associação Chapecoense de Futebol. O Átrio Daví Barela Dávi é um exemplo de que uma cidade é construída por todos, com união, atitude e boas ideias. Este projeto foi realizado através do Programa Chapecó Mais Bonita, instituído por Lei Municipal. O Programa visa compartilhar com a comunidade a construção, reforma, conservação ou manutenção de praças, canteiros, áreas verdes, monumentos, entre outros espaços públicos. A Lei ganhou vida com o pedido do Grupo Nostra Casa para adotar este espaço ao lado da Arena Condá com o objetivo de revitalizar a área de 1.286 metros quadrados, eternizando os guerreiros da Associação Chapecoense de Futebol, vitimados no acidente aéreo de novembro de 2016. A Administração Municipal também enviou à Câmara de Vereadores Projeto de Lei para nomear o espaço adotado de “Átrio Daví Barela Dávi”. Os vereadores aprovaram por unanimidade.

Daví Barela Dávi, nasceu em Chapecó em 10 de março de 1948. Desde sua adolescência envolveu-se nas mais diversas causas comunitárias, estudantis, empresariais, sociais, classistas, filantrópicas ou esportivas. Pelo seu espírito empreendedor e visionário, contribuiu sobremaneira para o desenvolvimento de Chapecó. Defensor ferrenho da sua cidade natal e um amante incondicional do seu clube do coração, sempre contribuiu das mais diversas formas para a sustentação e o desenvolvimento da Chapecoense. Acreditava convictamente na projeção internacional da Chapecoense. A ata de fundação do clube foi, inclusive, por ele redigida.

ÁTRIO DAVÍ BARELA DÁVI

O projeto do Átrio evidencia o objetivo maior do Grupo Nostra Casa: contar a história por completo, homenageando os eternos campeões.

Próximo ao Mural “O Gol Eterno” foi depositada a Cápsula do Tempo. Nela contém cartas do mundo inteiro com as mais diversas mensagens de apoio ao Clube e à cidade, com votos dos melhores sentimentos ao povo chapecoense, colombiano e à Associação Chapecoense de Futebol, que demonstraram juntos em 2017, que exaltam o enigma da reconstrução. A Cápsula do Tempo, depositada no Átrio, será aberta daqui a 43 anos.

Um dos grandes destaques do Átrio é a fonte. No seu interior, há o mapa da América do Sul em alto relevo, produzido pelo artista plástico Sergio Coirolo, e tem dois pontos de luz, um em Chapecó e outro em Medellín, representando os laços eternos de união, fraternidade e solidariedade criados entre as duas cidades.

Contornando o lago, 71 luzes verdes e 71 quedas d’água representam as vítimas. O piso foi revestido em mármore preto. Na borda externa foi colocado um revestimento em aço, com o nome de cada um dos eternos guerreiros rebordados a laser.

Em frente à fonte, serão calados no concreto os pés e as mãos dos quatro sobreviventes brasileiros: Alan Ruchel, Jakson Follmann, Hélio Neto e Rafael Henzel. Um espaço que, acima de tudo, contempla a vida, mas também relembra aqueles que nos deixaram, e principalmente, os exemplos eternizados por eles.

Na parte superior, acima do anfiteatro, foram plantados SEIS Ipês Brancos, que representam todos os sobreviventes do acidente, simbolizando o milagre da vida.

E para eternizar nossos sentimentos eternos, o artista Digo Cardoso produziu o painel #PraSempreChape.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *